Imagem chupada da Internet

Um dos maiores símbolos do corporativismo e da cultura chão de fábrica das firmas são os amigos secretos e festas de confraternização de fim de ano. Eventos clichês, programados para celebrar uma falsa união e uma pseudo-preocupação sobre a satisfação do funcionário.

Claro que para muitos, o amigo secreto e a festa de final de ano da empresa são o ponto máximo do ano. Mas para quem tem pelo menos um pingo de noção sabe que tais eventos são pura balela e todos só participam por pura obrigação.

O pronto máximo, que atinge 23 cocares na escala universal dos programas de índio que vai de 0 a 30, são os amigos secretos ou, em alguns lugares chamados de amigo oculto.

A ideia de sortear o nome de algum colega querido em um balaio e comprar um presente que é a cara dele, pode causar uma série de situações vexatórias, em que uma simples brincadeira engraçada culmina no ódio mortal, ou até mesmo garante um lugar na próxima lista de funcionários dispensados.

Pensando nisso, o humilde e ranzinza blog Salve a Rainha, resolveu dar algumas dicas para você, obrigado a participar dessa convenção social chamada “amigos secreto da festa de firma”. Anote essas dicas e use-as durante sua vida profissional:

Dicas de Presente de Amigo Secreto

1 – Não tente ser engraçado.

Tentar dar presentes engraçadinhos é uma das piores cagadas no amigo secreto da firma. Principalmente se você não conhecer plenamente a vítima, digo, a pessoa que você sorteou. O senso de ironia de 79,7% da população brasileira não funciona. Então, aquele presente que lembra vagamente que a pessoa sorteada é burra, gorda ou fede, voltará contra você. Principalmente se essa pessoa superior a você na firma. Em bom português, a pessoa não irá entender a piada e se ofender.
Então, nada de dar o livro “Como trabalhar para um Idiota” para seu chefe. Ou uma camisinha de morango para a secretária gostosa. Nesses casos é bom dar um presente comum mesmo.

2 – Não misture futebol com a festa.

Futebol é um assunto recorrente de rodinhas de repartição e cafezinhos de fim de tarde. É claro que todo mundo adora falar sobre futebol. Mas dar um presente embrulhado em um papel verde-branco para um atleticano não tem graça nenhuma. Nem um chaveiro com o escudo do time rival e muito menos alguma piadinha que referencie a desgraça do clube alheio. Além de ser clichê isso é superchato e pode transformar a festa numa guerra besta.

3 – Não fira a sexualidade alheia.

Outro tema universal  de piadas é a opção sexual da pessoa. Na lista de coisas para tirar sarro de alguém estão: a aparência, o time de futebol e a opção sexual. Piadas de duplo sentido no dia a dia de trabalho são totalmente aceitáveis, já que deixam o ambiente divertido, desde que estejam dentro de um certo limite de respeito, é claro. Porém, dar um pinto de plástico de amigo secreto para o colega machão que você tem certeza que dá a ré no kibe ou uma revista G para o office boy metido a pegador não é legal. Certamente, fará com que você pareça um idiota e não o felizardo que ganhou uma trolha para levar pra casa.

4 – Antes de dar bebida de presente, tenha certeza que a pessoa não é alcoólatra.

Isso já aconteceu. Não comigo, mas em uma empresa que já trabalhei. Como brinde de final de ano para clientes e prospects a escolha foi dar um minichapanhe, caro e requintado. Três meses depois, a agência recebeu uma carta da esposa do cara que ganhou o presente, agradecendo a contribuição para seu tratamento contra o alcoolismo. O cidadão estava há dois anos sem beber, recebeu um lindo minichampanhe embalado, embrulhado em papel colorido e com um cartão motivacional dizendo para ele comemorar todas as vitórias do ano. O presente foi lembrado por muito tempo, principalmente porque foi o pivô de seu retorno a clínica de reabilitação.

5 – Não dê vales.

Vale CD, vale compras, vale livro, vale presentes, não valem nada. Se entrou na brincadeira e ficou à disposição de ser obrigado a comprar um presente para alguém que você não gosta tanto assim, não venha querer se livrar do problema comprando um vale-alguma-coisa. Os vales são as coisas mais impessoais, chatas e sem valor (mesmo que seja um vale BMW) do mundo. Você não quis pensar em algo divertido para seu amigo secreto e comprou um papel que pode ser trocado por qualquer coisa.

6 – Evite clichês.

Agendas, blocos de anotação, materiais de escritório, CDs e livros de auto ajuda não são bons presentes. Qualquer um que ganha fará aquele sorriso amarelo parecendo que gostou mas, no fundo mesmo, te odiará eternamente, achando que você é um filha da puta sem criatividade e que dá o mesmo presente, todo ano, independente de quem sorteou.

7 – Na hora da revelação, não faça piadas infames.

Sim, seu amigo secreto tem dois olhos, nariz e boca e usa roupas. Acho que o pior momento do amigo secreto é a revelação e as piadinhas que farão, ou não, todos adivinharem quem você pegou. Não puxe o saco da pessoa. Economize os adjetivos para não parecer forçado. Se você pegou seu chefe então, não seja paga pau! Tudo mundo ficará com raiva de você.

E o mais importe:

Não beba demais nas festas de empresa.

Tem gente que pergunta: beber demais na festa da empresa causa demissão? Não. Mas beber demais na festa da empresa causa danos irreparáveis a sua imagem. Todos lembrarão de você como o pau d´água que bebeu, fez merda, jogou champanhe no dono da empresa (sim, eu fiz isso), vomitou por tudo e ainda quis tirar a roupa (não, eu não fiz isso!). Então, maneire. Não é porque tem bebida na faixa que você tem entupir o cu de cerveja.

Seguindo essas dicas, você garante a sobrevivência a mais um dos clichês de natal que, junto com o Coral do Palácio Avenida e o CD da Simone 25 de dezembro, assombram o fim de todos os anos.

Boa Sorte.